O Papa Francisco disse nesta segunda-feira, 07, à irmã Júlia Bacelar Gonçalves, religiosa portuguesa das Irmãs Adoradoras, que vai estar em Fátima nos dias 12 e 13 de maio de 2017.

Em declarações à revista Família Cristã, irmã Júlia Bacelar disse que a audiência do Papa Francisco aconteceu no âmbito da assembleia da RENATE (Religious in Europe Networking Against Trafficking and exploitation), em que participa.

“No final, cumprimentou-nos uma a uma, e quando falei com ele, entreguei-lhe uma bandeira de Portugal dizendo-lhe que ela significa o amor do povo português e a esperança de o ver em Fátima no dia 13 de Maio. Ele apertou as minhas mãos e disse: ‘Vou dia 12 à noite… Vemo-nos lá’, e olhou para o secretário, que acenou com a cabeça a confirmar”, recorda a religiosa.

Em declarações à Rádio Renascença, o presidente da República considera que a presença do Papa no dia 12 e 13 de maio, será um “desejo cumprido” dos portugueses.

“A confirmar-se, corresponde a um desejo manifestado quer diretamente a Sua Santidade, quer ao secretário de Estado, cardeal Parolin, quando esteve cá, que era que não perdesse a procissão das velas, no dia 12, o que implicava vir dia 12 e sair dia 13, à tarde”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Na peregrinação a Fátima de 12 e 13 de outubro, presidida pelo cardeal Pietro Parolin, o bispo de Leiria-Fátima pediu ao secretário de Estado do Vaticano que transmitisse ao Papa o desejo de o ver na Cova da Iria, em maio de 2017, no Centenário das Aparições.

“Queremos acender aqui com ele [o Papa] as velas acesas da nossa fé, queremos rezar com ele aqui os mistérios de Cristo, recitando o Rosário, queremos cantar com ele o magnificat da misericórdia, que é o tema do seu pontificado, aquela misericórdia que Nossa Senhora anunciou aqui para toda a humanidade”, afirmou Dom António Marto, numa intervenção aplaudida pelos milhares de peregrinos reunidos no Santuário de Fátima.

A tradicional procissão das velas acontece na celebração da vigília, dia 12, das peregrinações internacionais na Cova da Iria, após a recitação do Rosário, na Capelinha das Aparições.

A viagem do Papa a Portugal ainda não está confirmada oficialmente pelo Vaticano.

Francisco será o quarto Papa a visitar Portugal, depois de Paulo VI (13 de maio de 1967), João Paulo II (12-15 de maio de 1982; 10-13 de maio de 1991; 12-13 de maio de 2000) e Bento XVI (11-14 de maio de 2010).

São João Paulo II cumpriu ainda uma escala técnica no Aeroporto de Lisboa (2 de março de 1983), a caminho da América Central.

 

Seu comentário é muito importante para nós