A Igreja no Brasil está celebrando a Semana Nacional da Vida desde o dia 1º de outubro. Até domingo, 8, Dia do Nascituro, os católicos trabalharão para promover, proteger, defender  e valorizar a vida humana em todas as circunstâncias, desde a sua concepção, até a morte natural.

Para o bispo de Osasco (SP) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom João Bosco Barbosa de Sousa, este é o momento de “unir todos aqueles que buscam uma proposta de vida plena”.

Dom Bosco chama atenção para as reflexões que devem ser feitas durante a Semana Nacional da Vida. Para o bispo, é necessário manter-se alerta diante “das escolhas que podem ser atraentes ou até sedutoras, porém trazem como consequência a visível estupidez humana e como resultado a morte”.

O arcebispo do Rio de Janeiro (RJ), cardeal Orani João Tempesta, ressaltou em artigo que a vida deve ser defendida e preservada desde a sua concepção até a morte natural. “O Dia do Nascituro nos desperta para a consciência de que há direitos do ser humano de conservar a sua vida em estágio intrauterino”, afirmou. Diante dos muitos ataques e ameaças que os nascituros têm sofrido nos últimos tempos, dom Orani justifica as “razões sérias para a celebração de uma semana voltada para a beleza da vida”.

Subsídio “Vida e sociedade”

A Semana Nacional da Vida foi instituída durante a 43ª Assembleia Geral da CNBB. Neste ano, o tema proposto para reflexão por meio do subsídio Hora da Vida é “Vida e sociedade”.

O material preparado pela Comissão e pela Pastoral Familiar para aprofundar a temática proposta oferece em seu conteúdo pistas para reflexão, orações e informações relacionadas à vida e à sociedade. Dom João Bosco Barbosa explica que o material será importante para que os grupos de famílias, da Pastoral Familiar e aqueles que refletem a palavra de Deus possam também participar “dessa grande formação a respeito da vida que a Semana nos quer transmitir”. 

Os encontros oferecidos no subsídio abordam os temas “A vida humana: dom para a família e a sociedade”; “A ideologia de gênero e a negação da criação como dom de Deus”; “A via política – caminho para promover e defender a vida”; “Os cristãos e o compromisso com a vida” e “Juntos pela vida”.

“Esses temas são tratados de forma muito clara e didática, simples de entender, mas, ao mesmo tempo, profundos em seu conteúdo. Por isso, recomendo às nossas comunidades, à Pastoral Familiar que tenham em mão esse livro”, motiva Dom Bosco. Também há no livreto uma proposta de Vigília Eucarística em favor da vida e uma Oração do Jovem.