O documento do Vaticano que autoriza o início do processo de beatificação foi divulgado nesta segunda-feira pela
guido surfista cariocaArquidiocese do Rio de Janeiro

Da redação, com Arquidiocese RJ

O Vaticano autorizou a abertura do processo de beatificação do seminarista surfista do Rio de Janeiro.

A Arquidiocese do Rio recebeu o documento da Santa Sé, informando que não existe nada contra o pedido de abertura do
 processo de beatificação de Guido Schäffer.

O documento, chamado de "Nihil Obstat", foi assinado pelo prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, cardeal Angelo Amato, e divulgado nesta segunda-feira, 10. Com a autorização, a arquidiocese irá instalar um tribunal para dar início aos trabalhos.

Em maio deste ano, a Arquidiocese solicitou o pedido de concessão do "Nihil Obstat". Junto a esse pedido, foram enviadas histórias da vida de Guido para comprovar que ele viveu de acordo com os ensinamentos da Igreja.

Mais informações na reportagem de Leonardo Souza e Tony Cursino

"O anjo surfista"

O seminarista Guido Schäffer faleceu no dia 1º de maio de 2009, com 34 anos de idade, vítima de uma contusão na nuca que gerou desmaio e afogamento, enquanto surfava, na Praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Apesar de sua morte inesperada, o jovem Guido é lembrado com muito carinho por formadores e seminaristas do Seminário São José, onde cursou Teologia, e sua história inspira cada vez mais outros jovens a seguirem o caminho de santidade sem deixarem de viver todas as coisas próprias da juventude.

Assim, "o anjo surfista", como é conhecido, também marca a história do Seminário como um local de formação de homens santos dentro das comemorações dos seus 275 anos de existência.

 

Canção Nova