"Quer louvar-te o homem, esta parcela de tua criação! Tu próprio o incitas para que sinta prazer em louvar-te. Fizeste-nos para ti e inquieto está nosso coração, enquanto não repousa em Ti." (Santo Agostinho)

Tradicionalmente, setembro é o mês da Bíblia. E como sabemos, a Bíblia é a Palavra de Deus revelada. Assim sendo, ela é para nós a alternativa segura para nosso diálogo com Deus. Ao rezarmos falamos com Deus; ao lermos a Bíblia, Deus fala conosco. Por isso ela ultrapassa o valor de um mero livro. Nela encontramos meios eficazes de nos orientarmos, de nos corrigirmos, de termos conforto, de louvarmos e, principalmente de aprendermos como nos dirigir ao Pai e conhecermos a vida de Nosso Senhor Jesus Cristo e tudo o que ele quis revelar-nos. Ela orienta também a caminhada da Igreja de Cristo no mundo, que seleciona, sabiamente, uma palavra para cada dia do ano, para nos guiar e unir a Igreja no mundo todo ao redor de uma mesma reflexão cotidiana.

São Paulo escreveu a Timóteo que "toda Escritura é inspirada por Deus e serve para ensinar, refutar, para corrigir, para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito, preparado para toda boa obra.'" (Tm 3,16). Hoje em dia temos muito acesso à Palavra de Deus, muito diferente de algum tempo atrás. Hoje temos condições suficientes para tomar conhecimento de todos esses ensinamentos e pautar nossas vidas segundo a Palavra de Deus, modificando assim, nosso modo de viver, de pensar, enfim de amar. De passar a ver o mundo com novo olhar: mais contemplativo, mais atencioso, com mais amor.

Voltando à frase de Santo Agostinho, citada acima, afirmo que o repouso de nosso coração, a quietude da nossa alma, encontra caminho seguro na meditação da Palavra de Deus que é "Lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho" (Sl 119,105).

Pos Sonia Castoldi, missionária da Comunidade Deus Proverá