A igreja nos ensina que podemos e devemos invocar a intercessão dos santos diante de nossas necessidades aqui nesta terra.

Os santos são homens e mulheres que durante sua vida foram fieis e tementes a Deus em tudo aquilo que fizeram, mesmo caindo se levantaram e chegaram à glória junto com Cristo. Estes são aqueles que primeiro foram considerados felizes (bem-aventurados) e depois canonizados, ou seja, a Igreja autentificou que estes, pelo testemunho e vida que levaram, foram, após sua morte, recebidos no Reino Celeste, onde junto com Cristo viverão eternamente.

A intercessão dos santos gera muitas vezes um conflito de ideias, mas vale ressaltar que desde o Antigo testamento, os homens fieis a Deus intercediam pelos pecadores: "Ora, enquanto Moisés conservava os braços levantados, os israelitas ganhavam a batalha, mas, quando baixava os braços, os amalecitas começavam a vencer." (Êxodo 17,11).

Devemos compreender que Jesus Cristo é o nosso único Redentor e Salvador e que a intercessão dos santos, daqueles que vivem a plena felicidade nos céus não pretende tornar menor o que Jesus nos alcançou com sua morte e ressurreição, mas são intercessores, ou seja, aqueles que sendo contados entre os que agradaram a Deus querem nos ajudar a chegar também a Cristo.

Sem Cristo, nenhuma intercessão valeria de nada, mas Nele e por Ele não tenhamos medo de pedir a intercessão daqueles que já aqui se doaram e se gastaram por amor ao próximo: os santos, os ungidos, os separados.

Santa Teresinha do menino Jesus nos define bem o que significa a intercessão dos santos quando diz: "Passarei o meu céu fazendo o bem aqui na terra".

Que não tenhamos medo de invocar os santos, pois estes são colaboradores da construção do Reino de Deus e aproveitemos o testemunho de vida destes intercessores para que a exemplo destes possamos também chegar um dia à presença de Cristo.

Por Renata Souza, missionária da Comunidade Deus Proverá