Com início quarta-feira de Cinzas a Campanha da Fraternidade deste ano, traz a reflexão sobre a Saúde Pública.

 

No Brasil, a saúde sempre foi motivo de grandes angústias, pois, se por um lado temos recursos de alta tecnologia e profissionais competentes, por outro, as populações de baixa renda não tem acesso a esses tratamentos. Embora a preocupação de se melhorar essas condições e de se oferecer recursos para que os pacientes busquem tratamentos adequados, ainda estamos muito longe do ideal de se oferecer saúde para todos sem levar em conta a situação econômica do indivíduo, uma vez que saúde é um direito de toda pessoa humana. Neste tema vale lembrar também as condições dos profissionais de saúde, que em muitos lugares trabalham sem a menor condição de oferecerem bons tratamentos a seus pacientes.

O lema da Campanha da Fraternidade deste ano é tirado do livro do Eclesiástico: "Que a saúde se difunda sobre a Terra."(Eclo 38,8).

Entretanto, essa preocupação com a saúde não deve se ater somente nos tratamentos depois que a doença se instalou. Creio que devemos partir do princípio de que a saúde é um bem maravilhoso que nos presenteou o Criador e por isso devemos cuidar dela como um bem de inestimável valor. Preocuparmos com nossa alimentação, com nosso descanso, regrando nossos afazeres, enfim cuidando do nosso corpo físico para que males que poderiam ser evitados não nos acometam.

Hoje em dia falam-se muito em stress, ansiedade, pressão alta, obesidade, e outros problemas mais, sendo que a maioria dos casos é consequência de maus cuidados com a própria saúde. O aumento do consumo de substâncias nocivas ao nosso organismo, como o cigarro, bebidas alcoólicas e drogas, também é responsável pela baixa qualidade de vida das pessoas dependentes dessas substâncias.

Enfim, eu creio que muitos males poderiam ser evitados se nós vivêssemos nossa vida com mais atenção ao que nos ensinou Jesus Cristo. A exagerada preocupação com o trabalho, com o bem estar, com o possuir, pode fazer de nós cidadãos escravizados e doentes que não se preocupam nem consigo mesmos, nem com seus semelhantes; isso porque, com nossa saúde afetada mudamos também a vida das pessoas que nos cercam.

Que nós possamos realmente nos conscientizar do valor da nossa saúde evitando assim tomarmos o lugar de irmãos que tiveram o real infortúnio de ficarem doentes.

Que Nossa Senhora de Lourdes venha em nosso auxílio, intercedendo pela saúde de todos nós. Que nossos governantes possam lutar com boa vontade pelos pobres e doentes que tanto necessitam do cuidado com sua saúde, que sofrem nos pronto socorros, que aguardam por uma consulta desde a madrugada, que esperam longamente por um transplante ou por uma cirurgia, que viajam em ambulâncias sem nenhum conforto, e por aí vai, pois sabemos que o que falta em nossa saúde pública não são recursos econômicos, mas sim caridade e solidariedade.

Rezemos durante toda essa Quaresma por um mundo mais fraterno e justo. Que Deus nos abençoe.

Por: Sonia Castoldi, missionária da Comunidade Deus Proverá