vocacaoEstamos neste tempo da graça do Senhor, a Páscoa que fortalece a nossa fé no Ressuscitado e Deus Vivo. Deve a Páscoa nos fortalecer na esperança que a Vitória de Cristo sobre a morte e o pecado é real e atual. Por isto somos convidados e renovar mais ainda a nossa fé Neste Ressuscitado que celebramos. Nunca deixemos que os desânimos deste mundo sejam os motivos de condução de nossa vida, mas as pedras que devemos transpô-las.

 Convido-vos a meditar sobre a vocação, tema do 4° Domingo da Páscoa, domingo do Bom Pastor, Dia Mundial de Oração pelas Vocações. Nesta ocasião também celebramos o 50° ano que o venerável Papa Paulo VI instituiu. Neste ano o Papa Emérito Bento XVI deixou para nós este presente que foi a última carta para este dia de oração. Nela o Papa recorda a vocação de fé e esperança que fez de Abraão o fiel seguidor do Deus Único.

Através da escuta fiel e segura de Deus, Abraão se deixa conduzir pelas terras estrangeiras para Ele começar a fazer a sua história redentora e salvadora.

É oportuna a reflexão, pois desta fidelidade abraamica encontramos a mesma fé, agora expressa por Paulo que nas suas pregações nas várias sinagogas, depois nas praças pagãs, a mesma convicção que moveu Abraão, atualiza-se no apóstolo dos gentios. Esta força de fé e convicção é transmitida a nós nos atuais tempos, onde o mesmo Deus da Antiga Tradição clama e evoca os inúmeros jovens e demais pessoas a assumirem com fé e alegria a sua vocação, de sair de sua vida cômoda para uma renovação e significado de ser chamado por Aquele que é o Pai de todos os povos e de todos os homens.

Sempre Deus está chamando os muitos jovens a atualizarem a sua história de salvação, fazendo ainda, o Reino de Deus acontecer entre nós. Por isto a carta do 50° Dia Mundial de Oração pelas Vocações, é um convite aberto a todos sentirem e atenderem o chamado que Deus faz a cada um, os batizados, os seus filhos dispersos pelo mundo e que ainda continua chamando. Sempre e a cada instante, dizemos: "Não tenham medo", assumam com alegria o chamado do Deus da Vida e da esperança.

Para nós que trazemos em nós o carisma da Paz e da Unidade, somos e sejamos, os verdadeiros promotores desta Paz escassa e desta Unidade frágil e perene, que tanto o mundo carece e necessita. Trazendo no peito uma cruz e a coragem na mente, não tenhamos o medo dos covardes, mas a força de lutar e ir em frente para o Bem, para o Amor, para a Misericórdia e da Unidade verdadeira entre os irmãos.

Assim esperamos na Unidade entre os irmãos, vos deixar com estas pequenas palavras, provocar com alegria os corações de cada jovem nesta nobre e sublime missão de sentir o chamado de Deus em qualquer momento e parte de sua vida.

Por  Padre Danilo Bartholo, RCJ