"Fazendo-se tudo para todos, a fim de salvar alguns a qualquer custo"(1Cor9,22b)

"...Compreendi que meu amor não se devia traduzir somente por palavras" (Sta.Terezinha). Neste mês de outubro, consagrado às missões, Santa Terezinha do Menino Jesus, patrona das santas missões e Doutora da Igreja, também conhecida por Doutora do Amor pela simplicidade de compreender as Sagradas Escrituras no cotidiano de sua vida, claramente capta a íntima ligação entre teoria e prática, oração e obras, fé e vida, reafirmando a certeza de sua opção fundamental em Cristo, na itinerante missão da construção do Reino de Deus.

Tal exemplo remete à realidade presente no esforço de que "as atividades profissionais e socias em estreita ligação com a vida religiosa, não permita o funesto divorcio entre fé e vida cotidiana que reduzisse a vocação cristã a celebrações e a éticas parciais" (Frei Nilo Agostini). Fato que "a missão não é tarefa opcional, mas parte integrante da identidade cristã."(DA §144).

"Um só ato de amor nos fará conhecer melhor Jesus..." (Sta.Terezinha). É por esse ato que a missão emerge através do encontro com a pessoa de Jesus Cristo a se maturar em conversão que nasce do anúncio, a traduzir-se em serviço por meio do testemunho e comunhão, aos de dentro da comunidade e fora dela. Tudo isso resume a missão (cf. DGAE, §278). "Ai de mim, se eu não anunciar o evangelho" (1Cor. 9,16) São Paulo, no entanto, define-se a si mesmo como sendo um missionário "escolhido desde o seio para anunciar a Cristo entre os gentios" (Gl 1,15 - 16) ou seja, entre àqueles que não pertenciam ao povo eleito. "Fazendo-se fraco com os fracos, a fim de ganhar os fracos, fazendo-se tudo para todos, a fim de salvar alguns a qualquer custo" (1Cor 9,22).

A missão, portanto, nasce do impulso de compartilhar a própria experiência de conversão e de salvação com outros (em casa, no trabalho, na universidade), de plenitude e de alegria feita com Jesus Cristo, tendo Maria como modelo do discípulo-missionário, que neste mês é celebrada com muita distinção, sob o Título de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira do Brasil – modelo indispensável. Portanto, cientes que "toda atividade missionária é compromisso e empenho por uma vida mais digna em Cristo." (DGAE, §6). Santa Terezinha do Menino Jesus compreende: "Não é o bastante amar, é preciso prová-lo!"

Marcelo Moura, seminarista da Diocese de São João da Boa Vista