criana e tvÉ comum presenciarmos questionamentos a respeito do uso excessivo do computador, porém, é necessário discutir também a utilização da televisão, que geralmente ocorre de forma exagerada, a ponto de uma criança passar horas e horas em frente ao aparelho sem o controle de um responsável para filtrar o que é bom e aproveitável para ela.

Apesar de não ser uma situação fácil, os pais precisam verificar o que seu filho está assistindo. Isso não se trata de uma conduta impossível de adotar, principalmente por ser uma questão voltada para propiciar benefícios que somarão na educação e no aprendizado da criança.

O que se percebe é que grande parte dos pais apresentam diversas dúvidas em relação a esse assunto e se queixam da escola abordar muito pouco essa questão, sugerindo uma postura mais analítica e crítica.

Na sociedade atual, é comum ouvirmos as pessoas dizendo babá eletrônica, se relacionando ao contato das crianças com a TV. Sabemos também que além de dizer, esse fato é comum. As crianças são deixadas desde bem novinhas ao redor da TV enquanto os pais cuidam de seus afazeres.

Há crianças que assistem programas cada vez menos apropriados, até mesmo para adultos. Vêem filmes que contêm cenas de morte, tragédias, pornografia, enfim, fatos que de certa forma tentam convencer de que a violência é algo normal, trivial, que acontece diariamente, por isso devemos engoli-la, aceitá-la e até torná-la um objeto de diversão e lazer, que é caso dos jogos de vídeo games que estão muito presentes na vida das crianças e adolescentes.

Isso influencia no desenvolvimento da criança?

Ao falar de influência da TV e de tudo o que nela se vê na formação da personalidade e no desenvolvimento da criança, é preciso considerar os estudos sócio-interacionistas que nos afirmam que o que somos depende do lugar em que vivemos, das coisas que nos imprimem na inteligência, na memória, influenciando até nossa personalidade. Nós somos a cultura, o que vivemos de forma integral: o que vemos, o que fazemos.

Dessa forma, uma criança que assiste qualquer coisa na TV, ou que é educado pela TV sem critérios, terá impresso em si uma variedade de coisas, de realidades, de verdades, de normas que não condizem com o histórico de sua família, de seu grupo social.

Por isso a atenção tem que ser redobrada sobre nossas crianças, sobre o que elas estão assistindo, porque o que se vê, influencia no que se é, principalmente quando crianças que ainda não sabem separar o certo do errado, o bom do mau, o justo do injusto.

TV no quarto

Outro fato conflituoso em relação à TV, é a famosa TV no quarto que tira a criança ou o adolescente do convívio familiar, tornando-a uma ilha dentro da própria casa. Os pais precisam se atentar a esse fato. Se a criança ou o adolescente prefere ficar horas trancado no quarto assistindo TV ou na Internet, trocando a companhia dos familiares ou dos amigos, certamente há um problema  com a família, ou com a criança ou com os amigos, por isso fiquem atentos, procurem saber o que está acontecendo com seu filho.

Sempre há tempo para recomeçar, para acertar. Mas quanto mais tempo se deixa para corrigir, mais vai doer na hora de corrigir, de voltar à ordem.

Então significa que não podemos mais ver TV?

Não é isso, não é preciso extremismos, precisamos sim é saber separar e conciliar um tempo para cada coisa. Uma criança não pode assistir, como foi avaliado em pesquisas  de 4 a 8 horas de TV por dia. E ainda, a TV não pode ser o único lazer, a única diversão para a criança. É preciso então estipular um tempo com programas que não são contrários às regras e aos valores morais que a família cultiva, que certamente são de perdão, amor, dignidade, esperança, o valor da família, que a mídia de forma geral distorce.

Assim, teremos das crianças um retorno maior na escola, diminuindo a ansiedade gerada pela grande quantidade de informações e imagens armazenadas na memória.

Enfim, não permita que entre na sua casa, na vida de seus filhos qualquer coisa, saiba que isso pode influenciá-lo, porém, não mais do que seu exemplo, por isso cuide desse fato, mas seja exemplo para seu filho, para sua filha, isso vale muito mais do que qualquer outro fato, mais do que qualquer palavra ou método de educação.

 

Extraído do Programa Pais e Filhos com Renata Souza e João Paulo Parra, missionários da Comunidade Deus Proverá

Seu comentário é muito importante para nós